Aprenda Tudo Sobre os Verbos

CLASSIFICAÇÃO SINTÁTICA
É a classificação quanto à função das palavras na frase.
Transitivos: São verbos considerados de sentido incompleto e portanto precisam de complemento para o sentido da oração. Podem ser transitivos diretos (quando dispensam preposição), indiretos (quando exigem preposição) ou ambos (bitransitivos – quando apresentam dois complementos).
Exemplos: Bebi água. Recorri a ele. Agradeci a ele o presente.
Intransitivos: São verbos de sentido completo, que dispensam complemento para a compreensão do sentido.
Exemplos: Ela dorme. Eles brincam. Joana viajou.

De ligação (ou relacionais): Verbos que conectam o sujeito ao predicado sem indicar ação. Geralmente significam permanência, estado ou mudança de estado. Os verbos de ligação mais usados são: ser, estar e ficar.
Exemplos: Os bebês estão sujos. Ele permanece atento.

CLASSIFICAÇÃO MORFOLÓGICA
Morfológica é a classificação quanto a forma escrita dos verbos.

Regulares: O radical do verbo permanece igual para todas as pessoas e tempos conjugados. A conjugação dos verbos regulares segue o modelo de terminação de acordo com a conjugação (ar, er, ir).
Exemplos: Eu falarei, tu comeste, ele mentira.
Irregulares: O radical ou a desinência (modelo de terminação ar, er, ir) destes verbos é alterada pelas flexões.
Exemplos: Eu estive, tu tens, ele vem.
Anômalos: O radical destes verbos modifica-se completamente.
Exemplos: (dar) eu dou, tu dás, (ser) eu sou, tu és, (ir) eu vou, tu vais.
Para saber se um verbo é regular ou irregular, basta conjugá-lo no presente do indicativo. Se a terminação dele seguir o modelo de acordo com a desinência (ar, er ou ir), é regular. Se terminar de forma diferente, é irregular.
Defectivos: Verbos sem conjugação completa ou cuja conjugação em determinados pronomes pessoais não é comum. Podem ser pessoais, unipessoais ou impessoais.
Pessoais: Não são flexionados para algumas pessoas, por motivos morfológicos ou fonéticos. Exemplos: Verbo “falir” não possui algumas conjugações pela semelhança com o verbo “falar”. O verbo “reaver” também não possui todas as conjugações.
Unipessoais: São conjugados apenas em terceira pessoa do singular ou do plural. São os verbos que representam vozes de animais, mas podem (dependendo do estilo e objetivo do autor) ser conjugados com outros pronomes pessoais. Em alguns casos, os verbos parecer, ser, fazer e ir (entre outros) podem ser considerados defectivos unipessoais, dependendo do sentido da frase. Exemplo: Cacarejavam no quintal enquanto Totó latia e grunhia.
Impessoais: Verbos não tem sujeito, são usados na terceira pessoa do singular. Os principais são os verbos que indicam fenômenos da natureza, verbos fazer, ser e estar quando indicam tempo e o verbo haver quando indica tempo, existência ou acontecimento.
Exemplos: Choveu muito ontem. Faz dois meses. Era verão, mas estava frio. Havia apenas uma vaga há quatro dias.
Abundantes: Possuem mais de uma forma na mesma conjugação. Geralmente ocorre com o particípio (regular e irregular).
Exemplos: Anexar = Anexado, anexo, Envolver = envolvido, envolto, Imprimir = imprimido, impresso.
Pronominais: São verbos conjugados com os pronomes oblíquos. Dividem-se em essenciais e acidentais.
  • Essenciais: são sempre acompanhados do -SE, que é partícula integrante do verbo.
    Exemplos: suicidar-se, queixar-se, arrepender-se.
  • Acidentais: São, às vezes acompanhados do SE.
    Exemplos: dar-se, fazer-se.

9 comentários

  1. nathan bernardo

    Muito bom o conteudo… Gostei muito

  2. Janice

    Excelente aula conteúdo muito rico amei tirei minhas dúvidas e aprimorei meus conhecimentos

  3. janice conceição saraiva

    Gostei muito é um curso fácil de aprender e entender de um bom conteúdo

  4. janice conceição saraiva

    Não tinha conhecimento desse site fiz o curso sobre verbos e aprendi muito vocês etão de parabéns pelo conteudo e metodologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *