Organografia Vegetal

Fruto
É o ovário desenvolvido da flor. Geralmente o ovário desenvolve-se depois que os óvulos são fecundados, mas há frutos originados sem que haja a fecundação dos óvulos.
O fruto é formado pelo pericarpo (originado das paredes do ovário), que pode ser dividido em epicarpo, mesocarpo e endocarpo.

  • Epicarpo é a camada mais externa, a casca.
  • Mesocarpo é a camada do meio, em geral é a que mais se desenvolve por acumular substâncias nutritivas.
  • Endocarpo geralmente é a camada mais interna do fruto e por vezes endurece para proteger mais ainda a semente, como no pêssego, por exemplo.

Às vezes o desenvolvimento do fruto não acontece dessa forma, como na laranja, por exemplo. O mesocarpo da laranja é a parte que chamamos de bagaço e o endocarpo é a parte suculenta que comemos. Há muitos outros frutos que tem suas camadas desenvolvidas de forma diferente da padrão.
O fruto pode ser classificado segundo diferentes critérios, vamos conhecer alguns!

Quanto à origem, o fruto podem ser:

  • Simples: derivado somente de um ovário de uma só flor. Exemplos: cereja, tomate, maracujá e goiaba.
  • Agregado: originado de muitos ovários de uma única flor. Exemplos: framboesa, magnólia e morango.
  • Múltiplo, composto ou infrutescência: diferentes ovários de várias flores desenvolvem-se juntos. Exemplos: abacaxi, amora e figo.

Quanto ao tipo de pericarpo o fruto podem ser:

  • Seco: pericarpo com pouca água e as substâncias nutritivas geralmente são encontradas na semente. Exemplos: ervilha, feijão e soja.
  • Carnoso: pericarpo suculento. Exemplos: abacate, pêssego e uva.  Os frutos carnosos podem ser baga (sementes livres: mamão) ou drupa (uma única semente: manga).

Quanto a deiscência o fruto pode ser

  • Deiscente: abre-se quando maduro para expor as sementes. Exemplos: castanha, vagem e feijão.
  • Indeiscente: o pericarpo não se abre quando maduro. Exemplos: avelã, noz e arroz.

Quanto ao número de semente, os fruto pode ser:

  • Monospérmicos: uma única semente. Exemplos: ameixa, manga e abacate.
  • Polispérmicos: várias sementes. Exemplo: melão, tomate, melancia.

Pseudofruto: é quando a parte comestível, o pericarpo, não é originado do ovário da flor. Pode ser simples, múltiplo ou infrutescência. Exemplos: caju, morango e figo.
A maçã e a pêra também são pseudofrutos. A parte que comemos é derivada do receptáculo floral.

4 comentários

  1. ivaneide coimbra

    olá estou muito feliz de ter encontrado tanta informação de forma clara obr!

  2. Walkiria Fernandes Torres

    gostei muito do artigo que foi enviado principalmente das plantas e direito romano.Pois eu ja fasso paisagismo então vai me ajudar muito…

  3. GILVAND DE ALMEIDA COSTA

    Muito bom o artigo enviado a mim, tanto eu como o meu filho adoramos a matéria ensinada através desse artigo, Entendemos que é algo muito importante para todas as pessoas saber pelo menos um pouco sobre esse assunto, ou seja, qual é a função das plantas em nossas vidas, na vida dos animais.

  4. muito boa as informações,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *