Organografia Vegetal

Raiz
A raiz é responsável por fixar a planta ao local e extrair dele nutrientes e água para a planta.

As partes da raiz são: coifa (ponta), zona lisa (ou de crescimento), zona pilífera (ou de absorção) e zona suberosa (ou de ramificação).
Há vários tipos de raiz e elas podem ser classificadas de acordo com diversos critérios.

Quanto à origem podem ser normais ou adventícias:

  • Raízes normais
    São as raízes originadas a partir do embrião.
  • Raízes adventícias
    Originam-se a partir do caule ou de folhas.

Quanto ao habitat podem ser de três tipos: subterrâneas, aquáticas ou aéreas.

Raízes subterrâneas
Como o nome já diz, são raízes que ficam embaixo da terra.

Podem ser de três tipos: axial, fasciculada (ou cabeleira) ou tuberosa.

  • Axial (ou pivotante): Apresentam eixo principal bem desenvolvido, de onde surgem raízes secundárias menores. Exemplo: feijão.
  • Fasciculada (ou cabeleira): Não tem eixo principal, as raízes tem quase o mesmo diâmetro e originam-se da base do caule. Exemplo: cebola.
  • Tuberosa: Além das funções principais de nutrição e fixação da planta, essas raízes também acumulam nutrientes. Podem ter a forma axial (cenoura) ou fasciculada (mandioca).

Raízes aquáticas
Presentes em plantas que crescem perto da água. Não tem função de fixação, mas de flutuação e absorção de água e nutrientes. Podem ser lodosas ou natantes. Exemplo: vitória-régia e aguapé

Raízes aéreas
Desenvolvem-se total ou parcialmente em contato com a atmosfera. Podem atingir vários metros, como no caso dos cipós. Há sete tipos de raízes aéreas: sugadora, suporte, tabular, respiratória, grampiforme, velame e estrangulante.
Sugadora ou haustório: típica das plantas parasitas, penetra na hospedeira e retira seus nutrientes. Exemplo: erva de passarinho, cipó chumbo
Suporte ou escora: brota do caule em direção ao solo para auxiliar na sustentação da planta (não é mais considerada raiz, mas sim caule). Exemplo: pândano.
Tabular: surgem em árvores de grande porte, para ajudar na fixação. Tem o formato de tábuas. Exemplo: samaúma.
Respiratória (ou pneumatóforo): a raiz cresce ao contrário: para cima. Trocam gases com a atmosfera, ajudando na respiração. Exemplos: Avicennia schaueriana, presente em manguezais.
Grampiforme: em forma de grampos, prende a planta aos suportes. Entre os tipos de suportes estão paredes, estacas ou outras plantas. Exemplo: hera.
Velame (epífitas): Tem a capacidade de absorver a umidade do ar, prende-se em outras plantas, mas não retira seus nutrientes. Exemplo: orquídea e bromélia.

Estrangulante: Envolvem o caule da planta hospedeira e impedem seu crescimento, podendo causar sua morte. Exemplo: figueira mata-pau.

Caule
Serve de ligação entre a raiz e as folhas. Sustenta as folhas, transporta nutrientes e armazena reservas nutritivas. Além disso, alguns caules podem fazer fotossíntese.

Partes principais

  • Gemas (ou brotos): originam novos ramos, folhas ou flores.
  • Nó: parte do caule de onde saem as folhas ou ramos.
  • Entrenó: espaço entre um e outro nó.

Estrutura do caule

  • Casca: é a parte exterior do caule. Tem o tecido de condução (floema) que transporta a matéria orgânica (seiva elaborada) produzida pelas folhas.
  • Lenho ou cilindro central: Transporta água e sais minerais (seiva bruta) das raízes até as folhas através do tecido condutor chamado xilema.
  • Meristema: camada localizada entre a casca e o cilindro central. Produz células para as duas estruturas do caule, promovendo seu crescimento.
Tipos de caule
Os caules podem ser classificados quanto ao seu habitat:aéreos, subterrâneos ou aquáticos.Aéreos: crescem na vertical e acima do solo. Podem ser:
  • Eretos: Podem ser tronco (árvores), haste (herbáceas), estipe (palmeira), colmo (bambú) ou escapo (flor na ponta).
  • Volúveis ou trepadores: usam suportes para se apoiar ou enrolar (hera, madressila).
  • Rastejantes: crescem rente ao solo com raiz em apenas um ponto (tipo sarmento – chuchu) ou em mais de um ponto, originando novas plantas (tipo estolho – morango).

Subterrâneo: geralmente  tem a função de armazenamento de nutrientes.

  • Rizoma: crescem horizontalmente abaixo do solo (gengibre).
  • Bulbo: geralmente redondo e envolto por folhas modificadas (cebola).
  • Tubérculo: armazenam nutrientes e são usados na alimentação (batata).
Aquático: desenvolvem-se na água.
Exemplo: aguapé.
Adaptações do caule

  • Gavinhas: modificações que se servem para a fixação para o caule trepador.
    Exemplo: maracujá.
  • Espinhos: gemas desenvolvidas para evitar a predação.
    Exemplo: limoeiro.
  • Cladódios: assume aparência e função de folha, são achatados e clorofilados.
    Exemplo: cactos.

Folha
É um órgão especializado em captar luz e fazer trocas gasosas com o ambiente. A folha é responsável pela fotossíntese e pela respiração da planta. Pode ser classificada de acordo com diversos critérios, inclusive o habitat: aérea, aquática ou subterrânea.

Partes da folha

  • Limbo: é a parte mais larga das folhas, tem a parte superior e inferior limitadas pela margem. Possui nervuras que conduzem as seivas.
  • Pecíolo: estrutura alongada que liga a folha ao caule.
  • Bainha: parte final do pecíolo, presa no caule.
  • Estípulas: apêndices na base do pecíolo.

Alguns tipos de folha de acordo com suas partes:

  • Folha incompleta: não apresenta pecíolo, bainha ou estípulas. Em geral, as folhas das monocotiledôneas não têm pecíolo e a maioria das folhas das dicotiledôneas não têm bainha. Folhas completas são incomuns.
  • Folha com ócrea: estípulas grandes envolvem o caule. Exemplo: coccoloba.
  • Folha invaginante: bainha é mais desenvolvida e presa ao caule em grande extensão. Exemplo: grama.
  • Folha auriculada: os pecíolos se desenvolvem como folhinhas. Exemplo: laranjeira.
  • Folha séssil: possui apenas o limbo, fixado diretamente no caule. Exemplo: coração-roxo.
  • Heterofilia: a mesma planta produz folhas diferentes. Exemplo: jaqueira.

As folhas podem ser simples, compostas ou recompostas:

  • Folha Simples: cada pecíolo tem apenas um limbo. Exemplo: laranjeira.
  • Folha Composta: vários limbos em um único pecíolo. Exemplo: samambaia.
  • Folha recomposta: duplamente composta, há outros eixos com folíolos no pecíolo. Exemplo: sibipiruna.

4 comentários

  1. ivaneide coimbra

    olá estou muito feliz de ter encontrado tanta informação de forma clara obr!

  2. Walkiria Fernandes Torres

    gostei muito do artigo que foi enviado principalmente das plantas e direito romano.Pois eu ja fasso paisagismo então vai me ajudar muito…

  3. GILVAND DE ALMEIDA COSTA

    Muito bom o artigo enviado a mim, tanto eu como o meu filho adoramos a matéria ensinada através desse artigo, Entendemos que é algo muito importante para todas as pessoas saber pelo menos um pouco sobre esse assunto, ou seja, qual é a função das plantas em nossas vidas, na vida dos animais.

  4. muito boa as informações,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *