Aula: Introdução ao Design

Origem da palavra
Design é uma palavra inglesa derivada do latim designare que significa “marcar, destacar”. Em inglês, a palavra design pode ser usada como substantivo ou como verbo e significa, entre outras definições, projeto ou projetar.
A palavra design na língua portuguesa é traduzida como desenho industrial, mas esta tradução não compreende o significado total de design. Por isso é mais abrangente o uso da palavra design, que foi incorporada ao português.
O profissional capacitado em design é chamado designer.
Além de ser criativo, o designer tem uma preocupação constante com o formato, as cores e a funcionalidade do produto. Estes são conceitos que variam de acordo com o público-alvo.

Definição – O que é design
Não existe uma definição universal da palavra design. Vários autores tentaram englobar o amplo sentido da palavra. Em resumo, pode-se dizer que design é o ato de idealizar, criar e projetar produtos. Por produto entende-se não somente um objeto a ser vendido, mas também imagens, letras, marcas, móveis, espaços, roupas, sapatos e objetos inovadores.
Design é um conceito que está conectado a outras áreas como a arte, por exemplo.
O design é uma atividade especializada de caráter técnico-científico, criativo e artístico, com vistas à concepção e desenvolvimento de projetos de objetos e mensagens visuais que equacionem sistematicamente dados ergonômicos, tecnológicos, econômicos, sociais, culturais e estéticos, que atendam concretamente às necessidades humanas.
(Projeto de Lei nº 1.965, de 1996, para regulamentar a profissão no Brasil)

Áreas do design
O designer pode atuar em diversos segmentos de mercado, conheça os mais importantes:

Design de produto: É o design industrial propriamente dito. Focado em desenvolver ou melhorar os produtos para que sejam funcionais, criativos e atendam às necessidades dos consumidores. Pode ser focado em design de embalagem, automobilístico, mobiliário, hospitalar, entre outros.

Design de comunicação: é voltado para a imagem da empresa na sociedade. É uma categoria ampla, que engloba muitas subdivisões, geralmente de acordo com as mídias empregadas. Pode ser design visual, que inclui o design gráfico, voltado para comunicação visual da imagem do produto e da empresa. Há também o design digital e de interação (páginas na internet e jogos) e o de som (efeitos sonoros).

Design estratégico: atua não somente no produto, mas em toda a empresa. Trabalha a identidade da marca, em conjunto com o departamento de comunicação. O produto oferecido pela empresa é melhorado para atender às demandas do mercado.

Design de moda: Também chamado de estilismo, o design de moda abrange não só a modelagem de roupas e sapatos, mas também a criação de estampas e adornos (design de joias).

Design de ambientes: especializado em idealizar e projetar os espaços de vivência internos ou externos (escritórios ou parques). O design de ambientes compreende também o design de iluminação e de sinalização.

O design, aliado à tecnologia, tem importante papel no desenvolvimento de equipamentos que ajudam a melhorar a qualidade de vida das pessoas. Exemplos desses usos são as inovações na área da saúde, seja em aparelhos cirúrgicos ou em facilitadores de locomoção para pessoas com alguma dificuldade motora.
Mas, dentro da cultura do consumo, o design é usado para gerar necessidades e desejos nos consumidores. Atraídos pelo design as pessoas trocam produtos que ainda desempenham suas funções perfeitamente por outros com um design inovador. Isso acontece com telefones celulares, por exemplo.
Muitas vezes há a união das diferentes áreas do design ao desenvolver um projeto. O design de moda, por exemplo, não deixa de ser design de produto.

História
Há quem defenda que o homem usou design quando pela primeira vez construiu uma ferramenta ao juntar um pedaço de madeira e uma pedra cortante. Assim, o design sempre esteve presente no desenvolvimento de cerâmicas, móveis e muitas outras utilidades.
Mas a história do design como estudo e técnica começou impulsionada pela Revolução Industrial, no século XIX. A Inglaterra presenciou um movimento importante, o Arts and Crafts, que se opunha à reprodução anônima e em grande escala dos trabalhos artesanais. Depois surgiu a Art Nouveau, um estilo que se propagou por toda a Europa.

Em 1907 foi fundada a Deutscher Werkbund (Federação Alemã do Trabalho), que serviu de pilar para o surgimento da primeira escola de design, a Bauhaus, em 1919. A Bauhaus reunia design, arquitetura e artes plásticas, e defendia a simplicidade, o não exagero em ornamentos, a forma ligada à função.
Outra fase importante para o design aconteceu graças aos avanços da tecnologia nos anos 50. Os eletrodomésticos ficaram populares e havia a necessidade de criar produtos mais eficientes com custo menor. A história do design está conectada aos avanços tecnológicos.
Antes de falar-se em design no Brasil, o pintor Eliseu Visconti usava a arte aplicada à indústria. A primeira escola de design foi fundada no Rio de Janeiro em 1963, como Escola Superior de Desenho Industrial (ESDI). Os precursores do design no Brasil são Alexandre Wollner, Geraldo de Barros, Ruben Martins e Walter Macedo.

Saiba mais sobre a história do design
Há outros fatos importantes para o design, como:

  • O design aerodinâmico criado nos Estados Unidos e o surgimento de novos materiais (como a baquelita, precursora do plástico) em 1930.
  • O design inovador criado da Itália em 1946 com a motoneta vespa e as companhias fiat, olivetti e cassina.
  • A invenção do transistor em 1947 possibilitou aos designers a redução do tamanho dos equipamentos eletrônicos.
  • Depois de 1960 há a explosão do consumo, a rejeição ao funcionalismo e a produção é voltada para os jovens.
  • Surgem os movimentos psicodelismo, pop art e o anti-design (surgido na Itália).
  • Na década de 1970 há a consolidação do estilo pós-moderno e a competição entre fabricantes de automóveis. Jack Kirby desenvolve o microchip.
  • Nos anos 80 o uso do computador começou a facilitar o trabalho dos designers. O punk britânico foi um movimento influente no design, assim como o grupo italiano Memphis. Há o surgimento do design universal, voltado para pessoas com alguma limitação física.
  • Em 1990 surgem preocupações ecológicas e o uso de materiais alternativos ou recicláveis. O design de comunicação evolui muito. Há produtos variados para atender aos diversos segmentos de mercado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *