Curso História da Arte Medieval

As canções de gesta (conjuntos de poemas épicos) podiam ter milhares de versos. A mais famosa, a “Canção de Rolando” tem 4002 versos. A temática da maioria das canções era ligada à dinastia carolíngia. Os manuscritos das canções são divididos em ciclos, de acordo com os temas abordados.
Além das produções na Europa feudal, há exemplares literários dos povos convertidos ao islamismo, como “O Livro das mil e uma noites”, um clássico cuja primeira versão foi escrita no século 9 d.C. Acredita-se que a famosa coletânea de contos seja a transcrição das tradições orais da Síria, Pérsia e Índia. Outra versão foi escrita no século 13, com 282 histórias. Em 1704 o livro foi traduzido para o francês, com a adição de personagens como Ali Babá e Aladim. Além disso, o tradutor Antoine Galland excluiu narrativas com conteúdo erótico.

Obras que prenunciavam o novo estilo (o Renascimento), foram escritas no final do período medieval. Exemplos são “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri, poema épico e teológico  escrito em dialeto italiano (com três partes: inferno, purgatório e paraíso) e o “Romance da Rosa” escrito em francês por dois autores (um para cada parte): Guilherme de Lorris e Jean de Meun.
Algumas mulheres contribuíram com a literatura da época. Herrad de Landsberg escreveu “Jardim de Delícias”, sobre técnicas das ciências e Christine de Pizan, poetisa e filósofa, foi autora de “A Cidade das Mulheres”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *