Curso História da Arte Medieval

A pintura gótica teve características diversas de acordo com o período e a localização geográfica. No começo do estilo gótico, a pintura aparecia apenas em afrescos nas paredes e tetos das igrejas ou nas iluminuras. Quando começou a apresentar-se em quadros como conhecemos hoje, a temática puramente religiosa começou a dar espaço para retratos e paisagens. As iluminuras são a origem das histórias em quadrinhos.
O estilo gótico teve várias fases. Uma delas foi a que os historiadores de arte chamam de gótico internacional. Algumas características desse período são a decoração excessiva, o uso do ouro nos retábulos que ficavam atrás do altar. Há também o gótico tardio: nome dado às obras feitas nos séculos XV e XVI, paralelas à época chamada de Renascimento.

Assim como as outras artes, a música também estava subjugada à igreja. O sistema de notas musicais como conhecemos hoje foi criado com base no canto gregoriano instituído pelo papa Gregório I. Mais tarde são usadas mais vozes e vários compositores se destacam. Os temas deixam de ser somente religiosos e os trovadores falavam também sobre aspectos da vida cotidiana.
Depois do século XVIII, há uma tendência em retomar as características do estilo gótico, originando o que os historiadores de arte chamam de neogótico. Com isso, várias catedrais foram construídas em diferentes partes do mundo. Até hoje algumas construções (casas, escolas) são feitas com características neogóticas. No Brasil, a partir de 1880 foram construídos vários prédios neogóticos. Dois dos mais conhecidos são a Catedral de Petrópolis, no Rio de Janeiro e a Catedral da Sé, em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *