História da Arte Brasileira

Simbolismo
O simbolismo foi um estilo que apresentou, nas artes plásticas e na poesia, referências ao oculto e forte misticismo. Procurava diminuir a distância entre o mundo material e o espiritual. Havia também, na poesia, uma fixação em assuntos como a morte, a doença, o erotismo e a perversidade. Os pintores traduziam em imagens essa visão de mundo que os poetas simbolistas expressavam com sua linguagem. Há vários artistas de estilos diferentes com obras consideradas simbolistas.
Na pintura brasileira, pode-se identificar traços simbolistas como as formas vaporosas e as linhas ornamentais e coloridas, além da temática em algumas obras. Como exemplos pode-se citar “A Dança das Oréades” de Eliseu Visconti e “Minha Terra – trípico” de Helios Seelinger. Na poesia, o Simbolismo aparece com Cruz e Souza e Afonso Guimarães.

Aproximação com o Impressionismo
Não há expressões significativas de artistas reconhecidamente impressionistas no Brasil. Mas há artistas que, divergindo da metodologia de ensino da Academia Imperial de Belas Artes, decidiram pintar ao ar livre, da mesma forma como faziam os impressionistas. A pintura ao ar livre começou com o alemão Georg Grimm, em torno de 1884, quando ele se desligou da AIBA e levou consigo um grupo de alunos, entre eles Antônio Parreiras e França Júnior, que era também advogado, dramaturgo e jornalista.

Modernismo
Nas primeiras décadas do século XX alguns artistas brasileiros tiveram contato, em suas viagens, com obras dos movimentos de vanguarda europeus. Este contato influenciou e favoreceu o surgimento das ideias modernas expressas na arte livre das convenções acadêmicas.
O marco simbólico do Modernismo no Brasil foi a Semana da Arte Moderna, em 1922. Mas a mobilização de artistas começou em 1912, com as atividades literárias de Oswald de Andrade, Menotti del Picchia e Mário de Andrade.
Além disso, duas exposições expressionistas já tinham sido feitas: uma do lituano Lasar Segall, em 1913, que teve pouca repercussão, e outra de Anita Malfatti, em 1917. Era o rompimento com o academicismo.
A ideia de inovação nas artes era a principal para os modernistas. Havia também um sentimento de nacionalismo, a valorização da linguagem popular e da cultura indígena. A maioria dos artistas do movimento eram da elite tradicional.

3 comentários

  1. que bom que hoje as pessoas podem conhecer as estórias do brasil em qualquer lugar do mundo excelente parabéns. olha ai garotada ta mesa.

  2. Adorei, conteudo muito bem elaborado.

  3. Conteúdo muito bom, para estudantes e veteranos já desatualizados como eu gostei bastante deste curso podem conferir é ótimo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *