História da Arte Brasileira

Academia Imperial de Belas Artes
Idealizada por Lebreton, a AIBA foi inaugurada oficialmente em 1826 e serviu como palco para disputas entre franceses e portugueses. Debret e Montigny foram dois dos poucos artistas que permaneceram no Brasil depois que a presidência da Academia foi assumida pelo pintor português Henrique José da Silva.
O academicismo brasileiro era metódico, mas ao invés de seguir os temas da antiguidade clássica, havia a preferência por paisagens, cenas históricas e retratos. Alguns dos primeiros alunos da AIBA que se destacaram na pintura foram Victor Meirelles e Félix Taunay. Depois foram estudantes também Almeida Júnior, Pedro Américo e Eliseu Visconti.
A música começou a ser ensinada na AIBA somente em 1855. Carlos Gomes foi o mais importante compositor de óperas brasileiro. A primeira orquestra brasileira foi formada em 1923, quando o ensino de música era responsabilidade do Instituto Nacional de Música, absorvido pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Na escultura destacou-se Rodolfo Bernardelli.

Missão Austro-Alemã
Formada por cientistas e artistas que acompanharam a princesa austríaca Leopoldina em sua viagem ao Brasil, em 1817, para se casar com D. Pedro I. O pintor austríaco Thomas Ender, além de documentar a flora, pintava também cenas cotidianas. O alemão Johann-Moritz Rugendas foi outro importante pintor e viajou pelo Brasil entre 1821 e 1825.

3 comentários

  1. que bom que hoje as pessoas podem conhecer as estórias do brasil em qualquer lugar do mundo excelente parabéns. olha ai garotada ta mesa.

  2. Adorei, conteudo muito bem elaborado.

  3. Conteúdo muito bom, para estudantes e veteranos já desatualizados como eu gostei bastante deste curso podem conferir é ótimo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *