Curso teórico de Guitarra

Cifras

É uma nomenclatura usada universalmente para representar os acordes. A maior parte das edições musicais vem escrita com a MELODIA, e a CIFRA correspondente a HARMONIA.

Decore o nome dos acordes e suas respectivas Cifras.

Acorde
Cifra
Acorde
Cifra
Dó Maior
C
Dó Menor
Cm
Ré Maior
D
Ré Menor
Dm
Mi Maior
E
Mi Menor
Em
Fá Maior
F
Fá Menor
Fm
Sol Maior
G
Sol Menor
Gm
Lá Maior
A
Lá Menor
Am
Si Maior
B
Si Menor
Bm

As dissonâncias são assinaladas ao lado da nota. Quanto ao critério das alterações, dá-se preferência aos BEMOIS, por uma questão de padronização. Assim, por exemplo, o tom que está entre D e E , será representado por Eb e não D#.

Veja a descrição dos acordes abaixo.

Acordes Descrição
Dm7M RE menor com sétima maior
D#m5+ RE sustenido menor com quinta maior
F#m5- FA sustenido menor com quinta menor
G#m7/9 SOL sustenido menor, com sétima menor, com baixo na nona
Bm/A SI menor com baixo em LA
Gm5º/7 SOL menor com quinta diminuta e baixo na sétima
C4/7/9/13 DO com quarta, com sétima menor, com nona e décima terceira.

Bom, como vimos acima, você pode montar o seu acorde do jeito que a sua música necessita, esse ultimo mesmo possui quatro dissonâncias.

Outra coisa muita importante quando se executa um acorde ou uma escala é o posicionamento dos dedos e as cordas que fazem parte do acorde. Veja o exemplo abaixo:

Acordes Básicos / Tons Relativos Bom começamos então com a seguinte pergunta. Como encontrar os mais prováveis acordes que uma música normalmente exige para que se possa acompanha-la satisfatoriamente ?

Escolhido o tom da música, pode-se encontrar esses acordes entre os INTERVALOS de sua própria escala.

Vamos supor que seja DO MAIOR

Notas

Classificação

Os prováveis acordes são

DO Tônica Tônica
RE Supertônica Sétima Da Dominante
MI Mediante Sétima Da Tônica
FA Subdominante Subdominante
SOL Dominante
LA Superdominante
SI Sensível
DO Tônica Oitavada

Os prováveis acordes citados acima podem ser consideradas ACORDES BÁSICOS. Vamos achar cada um deles em DÓ MAIOR.

Classificação

Descrição

Tônica É O Acorde Fundamental De Dó
Sétima Da Dominante É A Sétima De Sol, Que Seria A Nota Fa.
Sétima Da Tônica É A Sétima Da Do, Que Seria Sib.
Subdominante É A Subdominante De Do, No Caso O Acorde De Fa.

Com o quadro acima conseguimos identificar os quatro ACORDES BÁSICOS para se acompanhar em , SOL7, DO7 e FA.

Bem, mas esses acordes serviriam talvez para acompanhar músicas bem simples, como valsas antigas e canções infantis.

Recorre-se então ao tom RELATIVO, procurando ampliar o campo de ação. Para os tons maiores, os RELATIVOS acham-se a um tom e meio abaixo, acontecendo o inverso para os menores. Em DO MAIOR, portanto, o RELATIVO é LA MENOR.

O que foi feito em DO MAIOR, repete-se em LA MENOR, para achar seus ACORDES BÁSICOS. Observa-se que, na Sétima da Tônica, o tom menor passa para maior.

Classificação

Descrição

Tônica É O Acorde Fundamental De LAm.
Sétima Da Dominante É A Sétima De MI, Que Seria A Nota RE.
Sétima Da Tônica É A Sétima Da LA, Que Seria SOl.
Subdominante É A Subdominante De LA, No Caso O Acorde De REm.

Então já temos oito ACORDES BÁSICOS para acompanharem DÓ MAIOR e LA MENOR, prestem muita atenção nas pestanas desses acordes e nos dedos a serem usados na formação de cada um.

O fato de se conhecer todos os ACORDES BÁSICOS, ajuda bastante, mas não resolve totalmente os problemas do acompanhamento. Muitas melodias exigem harmonização que ultrapassa o campo dos tons relativos. Mas, se fossemos relacionar novas séries de acordes para acompanhar músicas muito modernas, acabaríamos talvez, incluindo todos os acordes de todos os tons, tal a complexidade harmônica de algumas canções. A solução para essa dificuldade, está na própria capacidade musical de cada um, e numa hora dessas, mais vale um pouco de intuição e persistência, do que todas as fórmulas e regras da Teoria Musical.
Inversão Esta é a parte mais importante da HARMONIA. Refere-se ao tratamento que se deve dar ao acorde, afim de adaptá-lo a uma seqüência. No decorrer da apresentação dos TONS e DISSONÂNCIAS, os acordes foram dados com as TÔNICAS no BAIXO, porém esta condição de uma harmonia perfeita, as vezes não basta, é preciso uma coordenação entre os baixos, e as tônicas nem sempre podem oferecer tal possibilidade.

A partir de agora vamos começar a utilizar as CIFRAS para dar nome aos acordes.
Vamos construir uma frase.

Logo acima podemos ver o exemplo de um a seqüência de acordes sem alterações, com o baixo em suas respectivas TÔNICAS, porém os seus componentes acham-se isolados entre si, sem qualquer adaptação em conjunto.

Vamos então inverter alguns Baixos

Pode-se verificar que os acordes são exatamente os mesmos, não tendo sido acrescentado nenhuma nota diferente. Apenas foi feita uma INVERSÃO em Am7 (com a SÉTIMA no baixo), e também no Dm ( com a TERÇA no baixo). As outras duas posições se mantiveram intactas, com as respectivas TÔNICAS no Baixo. Como resultado, formou-se um tipo de seqüência harmonicamente organizada, com os acordes funcionando em equipe, devidamente orientados pelos BAIXOS. Esse complexo trabalho de construção e adaptação de frases musicais, pode, na realidade, ser considerado como a base fundamental da própria.

HARMONIA.
Mas não é apenas aplicando INVERSÕES que se consegue uma boa seqüência. Vejamos o seguinte exemplo:

Como se vê, são acordes com TÔNICA no BAIXO, e dispensam perfeitamente qualquer INVERSÃO.

Conclusão, para uma boa harmonização, é necessário uma distribuição bem dosada dos acordes com a Tônica no Baixo e com Inversão. É preciso combinar o estilo da harmonia, com o gênero da música, sem o que, até uma boa seqüência poderá ficar Completamente desajustada.

As inversões só podem ser feitas em determinados acordes. Os que mais se adaptam são os seguintes:

    • POSIÇÃO FUNDAMENTAL
    • SÉTIMA
    • SÉTIMA MAIOR
    • SEXTA
  1. Mas é preciso saber, em cada um deles, quais os intervalos que tem condições para substituir devidamente a Tônica. Siga abaixo as determinações:

    Acordes

    Intervalos

    Posição Fundamental Utilize a TERÇA
    Sétima Utilize a TERÇA ou SÉTIMA
    Sétima Maior Utilize a TERÇA
    Sexta Utilize a TERÇA ou SEXTA

33 comentários

  1. J.Junior

    Ola galera á um pequeno equívoco no desenho do braço da guitarra, na quarta corda na RÉ depois de MI é a FÁ não a LÁ como está. Mas ótimo curso.

  2. Gessyca

    Adorei tudo de bom!!!
    abraços…

  3. Ewerton

    nunca vii ninguem fazer isso por quem quer aprender mesmo,o site ta de parabens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *