Curso de Som Automotivo

PADRÕES PARA COMPETIÇÃO

A popularidade das competições de som automotivo provocou o surgimento de diversas entidades e associações ligadas a esses eventos. Uma das mais conhecidas e bem atuante no Brasil é a IASCA- International Auto Sound Challenge Association.
A IASCA padronizou diversos procedimentos e quesitos para o julgamento da qualidade e quantidade do áudio nos autos. Para isso distribui um manual destinado aos competidores e CDs de teste e afinação. É instrutivo, mesmo para quem não pretendo competir, conhecer os ítens que pontuam os melhores sistemas.
São analisados: SPL – Sound Pressure level, Equalização, Qualidade de Som e Qualidade de Instalação.
SPL:
Para a avaliação do nível máximo de pressão sonora, é utilizada uma faixa do CD de teste como
calibração de nível sonoro, sem preocupação com qualidade, ou seja admitindo-se distorção. A partir de 100 dB, cada dB a mais representa um ponto ganho.

EQUALIZAÇÃO:

A resposta em freqüência é medida ao longo da faixa audível através da faixa de ruído rosa. Cada desvio maior que 3 dB retira pontos do concorrente.

QUALIDADE DE SOM
A qualidade do som é verificada através dos seguintes parâmetros:

· Staging: representa a capacidade do sistema de reproduzir o ambiente original do concerto, principalmente através do som frontal;

· Imagem: mede a definição da imagem estéreo, colocando o ouvinte no centro do espetáculo, definindo bem a origem dos sons, esquerdo, direito e frontal, e proporcionando profundidade da imagem estéreo;

· Separação de frequência: Característica de um som bem definido, sem empastelamento dos diferentes timbres instrumentais;

· Ausência de ruído no sistema: Relação Sinal-Ruído com boas características, sem interferências ou ruídos dos acessórios, mecanismos de transporte, antena elétrica, etc.;

AUSÊNCIA DE RUÍDO NO MOTOR: Sem interferências do sistema elétrico do motor, quando em funcionamento.

· QUALIDADE DA INSTALAÇÃO:

A criatividade, esmero e qualidade geral da instalação é julgada por ítens que levam em conta:
· Integridade: Coerência do projeto, filosofia e montagem física;
· Cabeação: Cabos com seções bem calculadas, terminais, proteção;
· Ergonomia: Conforto, facilidade e manuseio seguro;
· Detalhes: Cuidados na montagem, limpeza e adequação;
· Criatividade: Novas idéias que justifiquem o desempenho conseguido, inovações em aspectos ainda não considerados por outros competidores.

ALGUMAS RECOMENDAÇÕES:

Nesta introdução ao assunto do som no carro vimos uma série de fenômenos acústicos que ocorrem no pequeno volume da cabine do automóvel, e salientamos alguns pontos importantes no desempenho de aparelhos de som automotívos.
Podemos resumir algumas conclusões com respeito aos tópicos abordados:
· O ruído presente tende a mascarar o sinal musical, principalmente nas freqüências mais baixas. É essencial considerar a adoção de materiais fono-absorventes e isolantes – manta asfáltica, de forma a limitar essa interferência; Uma equalização com reforço na banda dos graves ajuda a superar e tornar mais balanceada a resposta do áudio;
· A imagem estéreo, devido às condições próprias do habitáculo, é uma meta de difícil consecução. É necessário, para cada tipo de auto, um estudo cuidadoso do posicionamento dos alto-falantes;
· Existem picos apreciáveis na resposta em freqüência, principalmente ao redor de 150/250 Hz, devido ao tamanho do habitáculo e tipos de superfícies envolvidas. Para tornar a resposta mais plana a solução mais completa é o uso de equalizadores.
· Um cuidadoso alinhamento do sistema, com alto-falantes bem posicionados, pode tornar mesmo um sistema dos mais simples, muito equilibrado e agradável de se ouvir.
No mercado nacional vem se destacando excelentes revistas sobre o assunto. Para conhecer melhor sobre instalações, sugerimos acompanhar as reportagens que tem surgido nos melhores periódicos, como: Revista Quatro Rodas: Edição Som, Som e Carro, Audio Car. Nesta série, contamos com ajuda de publicações dos cursos de instalação realizados pelo Prof. Homero Sette e o Técnico Diógenes Cerântula, campeão nacional do Sound Pressure Level – SPL.
Os lançamentos mais recentes de aparelhos no mercado mostram sofisticação crescente: maior potência em amplificação, toca-CDs com proteção contra saltos, reprodutores de mini-discs, etc. O som no automóvel já vai atingindo a maturidade e, quem sabe, logo teremos a possibilidade de aparelhos DVD com Dolby Digital, tocando cinco canais. Dessa forma, e desde a chegada no mercado brasileiro dos projetos mundiais mais sofisticados, já atingimos um nível de áudio para o automóvel com uma qualidade plenamente satisfatório até mesmo para o aúdiófilo bem exigente.

23 comentários

  1. boa iniciativa !!!!!!

  2. henrique

    bem legal !!!!

  3. muito terresante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *