Curso Benchmarking

Benchmarking – Tipos de Benchmarking
Interno:
Praticado por empresas que querem identificar as melhores práticas internas da organização e então propagar para os outros setores. É um dos mais fáceis de ser executado porque os dados estão disponíveis e não existem problemas de confiabilidade. Os problemas podem ser que as práticas internas estejam impregnadas nos mesmos paradigmas. Pode levar à prática de benchmarking externo.
Competitivo:
Tipo mais difícil de se praticar, porque as empresas visitadas são concorrentes diretos, e normalmente não estão muito interessadas em ajudar a equipe envolvida. O foco é medir funções, métodos e características básicas de produção e então melhorá-los. Muitas vezes esse tipo de benchmarking é feito por intermédio de uma consultoria externa.

Funcional:
É a forma mais utilizada, uma vez que não é preciso se comparar com um concorrente direto. Normalmente as empresas investigadas são de ramos diferentes, mas praticam técnicas que podem ser aplicadas na empresa do investigador.  Esse processo é produtivo porque permite a troca de informações de forma mais fácil, sem problemas de confiabilidade das informações.


Genérico:

Requer uma conceituação ampla e complexa do processo analisado. As empresas participantes têm processos ou funções semelhantes. É o tipo onde encontramos a maioria dos exemplos práticos. Apesar de consumir bastante tempo, tem alto potencial para descobrir práticas inovadoras.

Um comentário

  1. Ricardo

    UM CURSO EXCELENTE, PARABÉNS PELO MATERIAL DISPONÍVEL, ELE ACRESCENTA CONHECIMENTO E AGREGA VALORES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *