Aula: Análise Dinâmica do Capital de Giro

Porque utilizar o Modelo Fleuriet
O modelo define a qualidade da situação econômico-financeira das empresas, tendo como base a configuração de determinados elementos patrimoniais.
Ou seja, para analisar os ciclos do Balanço Patrimonial é preciso verificar o período de movimentação de suas contas.

Este modelo foi desenvolvido para simplificar a análise financeira das organizações.
Fleuriet aplicou uma escala de classificação para qualificar a situação de liquidez da organização.

Veja a tabela abaixo:

  • No tipo 1, NCG negativa, apresenta excelente liquidez.
  • No tipo 2, NCG positiva apresenta uma aplicação de recursos no curto prazo.
  • Tipo 3 é uma situação insatisfatória, porque a variável CDG não é suficiente para financiar a NCG, e precisa de fontes de recurso a curto prazo.
  • Já o tipo 4, T positiva, NCG e CDG negativos, é uma situação de alto risco, já que a CDG estaria aplicando recursos no curto prazo e não se mostra rentável.
  • Tipo 5, tanto NCG, quanto CDG e T negativos, é uma situação ruim porque necessita de um complemento nos ativos de longo prazo.
  • O tipo 6, com a NCG positiva, mas com CDG e T negativa, faz com que a empresa utiliza o T para financiar o NCG e CDG. Com isso a empresa pode ser classificada como insolvente.

O modelo dinâmico indica a situação econômico-financeira para saldar dívidas quando do vencimento pelo saldo da tesouraria, uma vez que pelo ativo e passivo financeiro (errático) não é possível prever sua composição futura.

Um comentário

  1. flavio jose queiroz da silva

    muito bom curso pelo email ajuda muito valew.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *